Arquivo da tag: nintendo ds

Portal para Nintendo DS

Originalmente lançado junto com o Orange Box da Microsoft:StillAliveDS
o jogo Portal acabou recebendo uma versão em flash e uma homebrew para Nintendo DS.
Este é um jogo do tipo puzzle que consiste em “apenas” em sair da tela pelo local indicado, utilizando portais dimensionais. A idéia é bem simples: você aponta um portal para uma parede (chão e teto também podem ser utilizados) e outro portal em outra parede. Quando o seu personagem entra em um local sai automaticamente em outro.
Parece uma tarefa fácil no começo, porém, a dificuldade começa a aumentar quando aparecem locais onde não é possível criar portais, lurages muito altos, abismos, inimigos que atiram até a morte, campos de força, e assim por diante.
É possível baixar o jogo para Nintendo DS no site http://t4ils.free.fr/Projets_NDS/StillAliveDS/site/index.php
Existe neste mesmo site, mapas adicionais para você colocar no cartucho e até um editor de mapas feito em java.
Como a ROM é uma homebrew o jogo bode ser baixado e executado gratuitamente. Para utilizar este jogo com o cartucho M3 Perfect é necessário aplicar o patch DLDI após converter o jogo como o M3 Game Manager.

Homebrew e Nintendo DS

Pela definição da própria wikipedia:

Homebrew is a term frequently applied to video games that are produced by consumers on proprietary game platforms; in other words, game platforms that are not typically user-programmable, or use proprietary hardware for storage. Sometimes games developed on official development kits, such as Net Yaroze or PS2 Linux, are included in the definition. Some of these typically go under more frequently used labels, such as freeware. The term doesn’t, however, include commercially sold games that are developed without the console manufacturer’s license. A popular type of homebrewed games is fangames.

“Homebrew é um termo frequentemente aplicado a jogos de videogame que são produzidos por consumidores em plataformas de jogo proprietárias; em outras palavras, plataformas de jogo que não são tipicamente programáveis abertamente, ou utilizam hardware proprietário para armazenagem. Às vezes, jogos desenvolvidos em kits de desenvolvimento oficiais, como Net Yaroze ou PS2 Linux, são incluídos na definição. Alguns destes normalmente sobre rótulos mais comuns, tipo freeware. O termo, todavia, não inclui jogos vendidos comercialmente que foram desenvolvidos sem a licensa do fabricante. Um tipo popular de jogos homebrew são fangames.”

Para videogames portáteis o acesso às homebrews é, geralmente, fácil. Tomando como exemplo o Nintendo DS ou GameBoy Advance é possível encontrar diversos cartuchos que permitem o uso de homebrews: m3, supercard, r4, neoflash mk5…

Na época que adquiri um cartucho M3 Perfect (eu não sou nenhum santo e também não sou parente da Paris Hilton), acabei optando por um cartucho um pouco mais caro, porém, com maior compatibilidade com backups e homebrews. O único inconveniente que encontrei até hoje, com relação a homebrews, foi o suporte a DLDI (Dynamically Linked Device Interface for libfat). É uma biblioteca que faz interface com o sistema de arquivos FAT (cumulmente utilizado pelo windows). Para o M3 Perfect, é necessário aplicar o patch das funções de DLDI após a conversão da rom com o M3 Game Manager.

As funcionalidades do Nintendo DS permitem aos desenvolvedores anônimos criar mais do que jogos para o aparelho: simples editores de imagens, agendas, clones de MSN, servidores de FTP, clientes de IRC.

Quem estiver curioso sobre como as homebrews do NDS funcionam com mais detalhe, como podem ser desenvolvidas, ou querem apenas testá-las, seguem alguns links relacionados:

http://www.ndshb.com/ (NDS Homebrew roms & reviews)

http://forum.palib.info/ (Fórum de uma ferramenta de desenvolvimento para NDS)